saber não-saber

As cores que tu olhas e separas

os sons que ouves

os tempos, as palavras

só são assim, inteiras, homogêneas

ao teu olhar

Por sua capacidade de não ver

é que vês

Por não ouvir

o barulho ensurdescente do mundo

é que ouves

O particular

Isto ou aquilo

só existem

na sua graça e plácida indiferença

por não existirem

em absoluto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s